Bem vindo ao nosso forum ! É seu primeiro acesso?
Registro
Resultados 1 a 12 de 12
  1. #1
    Moderador Avatar de Romulo
    Inicio
    Oct 2010
    Idade
    29
    Posts
    1.665
    Post Thanks / Like

    Nintendo 3DS - Review Completo

    Como até agora aqui neste fórum (SNK-Nintenhaters) só tem gente malhando o pobre Nintendo 3DS sem nem ter jogado ou sequer visto um ao vivo (ou no máximo tendo experimentado 5 minutos no Game World 2011) decidi fazer um pequeno review sobre o bichinho. Este review estava sendo preparado para o novo portal SNK-Neofighters, mas como o XPhoenix deve estar tendo problemas para terminar o projeto, então resolvi postar aqui mesmo para que o review não ficasse muito datado. Qualquer coisa, quando ficar tudo pronto e bonitinho podemos passar esse review para uma área específica de reviews no novo site e tal.


    Design

    No lançamento, o Nintendo 3DS está disponível em duas cores: Cosmo Black e Aqua Blue (com um modeo vermelho à caminho). Segundo coisas que eu andei lendo na internet de japas que já tinham o 3DS, o console preto ficava muito marcado com manchas de dedo, como a parte externa do DS Lite. Tive um DS Lite preto e realmente era feio aquele monte de digitais, então decidi comprar o Acqua Blue.

    O console em si é basicamente do mesmo tamanho do DS Lite, apenas um pouco mais grosso na parte superior. A pintura é toda feita em 3 tons de azul/esverdeado (com exceção da parte onde ficam os slots para o cartucho, o carregador e a stylus, que é cinza com um efeito metálicos). A parte externa inferior (onde fica o compartimento da bateria) é num tom pastel sem grande destaque. A parte inferior interna é mais escura e tem um efeito que não sei explicar direito, é como se pequenas partículas brilhantes fossem adicionadas à tinta para que brilhassem ao serem vistas em determinado ângulo de luz. A parte interna superior é (indo na contramão do resto do design do console) totalmente preta, daqueles pretos que são perfeitos para guardar suas impressões digitais (nerds criminosos, nunca esqueçam seus 3DSs em suas cenas do crime). Ao lado da tela superior tem um led que indica a possibilidade ou não do jogo suportar o 3D. A parte superior externa é de uma tom mais escuro que os outros e com um efeito metálico realmente muito bonito e brilhante.


    Os parafusos estão todos expostos, diferentemente do DS Lite onde havia proteções para esconder todos eles. Agora é necessário remover todos os seis parafusos da parte inferior externa para efetuar uma futura troca de bateria. No DS Lite apenas um parafuso segurava a tampa do compartimento de bateria (que era pouco maior que a própria).
    Particularmente, sempre achei o DS Lite leve demais. O DSi deu uma melhorada na pegada com um pouco mais de peso e menos espessura. O 3DS é um pouco mais pesado. Não a ponto de cansar em longas horas de jogo, mas sim de dar mais firmeza ao pegar.

    Os botões “A”, “B”, “X” e “Y” são os mesmos. Nada mudou desde o Ds Lite. Talvez eles tenham ficado mais firmes, mas isso pode ser só a impressão pelo aparelho ser novo. Abaixo deles está o botão “Power” o que causa um certo desconforto aos que já estavam acostumados com o DS Lite, DSi e DSi XL, pois ele está onde ficavam o “Select” e “Start”. A primeira impressão é “Puta *****! Vou acabar desligando essa bosta quando for pausar o game”. Diversas vezes apertei o botão de “Power” instintivamente pensando que era o “Start”. Porém, o desligamento não ocorre pq o 3DS exige que você segure o botão por cerca de 1s para que você o desligue (e ninguém dá pause em um jogo segurando um botão, né?). Os botões “L” e “R” estão bem mais firmes que no DS Lite, mas não é nada que já não tinha sido visto nos modelos posteriores do Nintendo DS.O direcional digital está bem mais firme que antes, o que ajuda muito para games de luta como Street Fighter e afins. Ele fica localizado mais abaixo do que o normal (para dar espaço ao slide pad, mas não é nada que chegou a atrapalhar o controle não.

    O Slide Pad foi a principal inovação na jogabilidade do nintendo 3DS em relação ao seu irmão bidimensional. O Slide Pad é um direcional analógico muito parecido com o do PSP, mas muito mais firme e preciso. Ao contrário do analógico do PSP que é convexo e tendia a escorregar do seu dedo, o Slide pad é côncavo, dando muito mais precisão e segurança.
    Os botões “Start” e “Select” foram colocados logo abaixo da tela inferior. Entre eles está também o botão “Home” (herança do Wii) que serve para você acessar o menu básico do console. Esses botões são praticamente impossíveis de serem diferenciados pelo tato. Você passa o dedo sobre eles e dificilmente percebe onde começa um botão e termina a carcaça. Uma bola fora no design do console.

    Outra bola fora foi a localização da caneta. Os milhões de usuários do Nintendo DS Lite já estavam acostumados a ter a stylus facilmente localizada e rapidamente acessível no lado direito do console. Agora, você tem que esticar a mão até a parte superior do console, onde fica o slot de cartucho, tirar a stylus de lá (o que não é tão simples, pq parece q ficou mais apertado) e depois disso tudo esticar a caneta que agora é retrátil. Muito menos prático do que o modo antigo.

    O controle de volume voltou ao padrão que era no DS Lite, analógico e diretamente ligado aos alto falantes. O que possibilita um controle muito mais rápido do volume. No DSi e DSi XL eram botões digitais que eram meio lentos. Ter que abaixar o volume rapidamente era uma experiência difícil... e não dava pra simplesmente fechar o console e abaixar o volume. No 3DS está de volta a simplicidade do DS Lite. Já a entrada para fone de ouvido ficou localizada bem no meio da parte inferior do console. O que ao menos pra mim foi muito ruim, pois tenho o costume de jogar deitado na cama com o DS apoiado sobre o peito, agora não dá mais para fazer isso usando fones de ouvido. Uma adição interessante foi o botão para ligar e desligar o Wi-Fi (assim como o que tem o PSP). Ajuda bastante para economizar um pouco a bateria.


    A tela inferior é basicamente a mesma coisa das versões anteriores. Quase o mesmo tamanho, mesmo brilho, mesmo contraste e mesma touch. Notei a tela superior levemente mais amarelada do que a inferior quando não está em modo 3D, mas isso só é visível ao ser exibida uma imagem totalmente branca nas duas telas simultaneamente. A tela tem uma resolução maior que a do portátil anterior da Nintendo. A resolução da tela inferior é de 320 x 240 (contra 256 x 192 das telas do Nintendo DS) A grande novidade é a tela superior de resolução 800 x 240 e sua capacidade de mostrar imagens em 3D.


    Retrocompatibilidade


    O Nintendo 3DS tem um único slot para cartucho e os cartuchos dele e do Nintendo DS são praticamente iguais. Externamente, a principal diferença além da cor cinza dos cartuchos do 3DS e o preto dos games de DS é uma saliência no lado direito do cartucho que impede que ele entre nas versões anteriores do portátil (aliás, é uma trava unicamente mecânica, pq já se descobriu um hack para extrair os saves dos jogos de 3ds executando um programa em um Nintendo DS com Flashcard e plugando o cartucho de 3ds sem a carcaça. Parece que voltamos aos tempos em que desbloqueávamos nossos consoles com uma faca quente XD).

    Ao rodar um game de Nintendo DS no 3DS o jogo se apresenta levemente escalonado. Com um certo blur. Ao menos pra mim, não pareceu nada que atrapalhe. A tela de baixo é inteiramente ocupada pelo jogo, já a tela superior fica com bordas pretas nas laterais. Caso você queira jogar o game na sua resolução original, é só executar o jogo segurando Start ou Select e ele vai ser exibido na sua resolução original, ocupando apenas parte das telas superior e inferior.


    A principal vantagem em se jogar os games do DS no 3DS é o Slide Pad. Testei Mario Kart e New Super Mario Bros (os outros games originais que eu tenho de DS não usam o direcional) e foi muito confortável jogar New Super Mario Bros com o slide pad. Já o Mario Kart virou outro jogo. A experiência de controlar o game com o direcional analógico é muitíssimo superior à controlar com o D-Pad. Obviamente o jogo só responde às 8 direções para o qual foi originalmente programado, mas a fluidez com que você pode executar os comandos no direcional analógico facilita muito. Em contrapartida, imagino que jogar Ultimate Mortal Kombat 3, por exemplo, no slide pad seja tão frustrante quanto jogar em outros controles analógicos de outros consoles.


    O multiplayer local entre um 3DS e um DS Lite ou DSi XL é absolutamente normal. Não há a mais ínfima diferença. Um ponto negativo é o fato do 3DS ser capaz de utilizar encriptação de rede WPA mas os jogos de DS continuam limitados ao WEP para jogar online.

    Falando em retrocompatibilidade, o carregador do 3DS é o mesmo do DSi. Então, donos do DSi e do DSi XL podem usar seus carregadores no 3DS. Donos de DS Lite e DS Fat, não tiveram a mesma sorte.

    O Menu Principal


    A primeira coisa que me chamou a atenção neste quesito foi a ausência de uma tela de boot. Sei lá, a utilidade delas é discutível, mas me acostumei a ter uma tela sendo exibida com uma animaçãozinha ou um logo qualquer sempre que você liga um videogame. No 3DS não tem nada disso. Você liga o console e a primeira coisa que aparece é o menu principal. Nem um sonzinho, nem uma animaçãozinha, nada... Aliás, outra esquisitice é que o console demora entre 5 ou 6 segundos para ligar. Um tempo excessivo e que seria menos estressante com uma animaçãozinha qualquer de boot. Curiosamente, há uma tela de boot quando você executa algum aplicativo de Nintendo 3DS. Ao executar um jogo de Nintendo DS, nenhuma tela de boot é exibida.

    O menu principal em si é bem bonito. Lembra o menu do DSi, com todas as opções de softwares lado a lado em linha. Caso você não goste dessa disposição pode alterar para um formato de grade, que vai de 6 ícones na tela simultaneamente até 60. Quando você seleciona um software qualquer para rodar, uma animação própria dele é exibida na tela superior (com efeito 3d e tudo) parecido com as animações que são executadas quando você seleciona um canal qualquer no Wii.

    Durante os jogos do 3DS, você pode entrar no menu principal apertando o botão home. Enquanto isso, o jogo fica em segundo plano e você pode acessar todas as opções do menu principal. Uma função muito interessante é a função “Game Notes”. É uma espécie de bloco de notas que você pode acessar a qualquer momento durante o jogo. Imagine que você está jogando um adventure qualquer e um personagem te dá a senha de alguma coisa. Você abre o game notes, anota a senha lá e volta pro jogo. Quando precisar, você volta até lá e pega a senha. Chega de papéis espalhados por aí com passwords que você nunca consegue achar quando precisa. Enquanto você visualiza os game notes você pode ver tb a tela em que o jogo estava quando você o deixou suspenso. Você também pode utilizar o navegador de internet do console enquanto está com o jogo pausado em segundo plano. O primeiro uso que me vem à cabeça é vc empacar em um lugar qualquer do jogo, pausar o game, consultar um walkthrough na internet e voltar à jogar. Acho que www.gamefaqs.com vai estar nos favoritos do Navegador do 3DS de muita gente. Infelizmente, este recurso não funciona nos jogos de DS. Ao pressionar o botão home em um jogo de DS aparece uma tela perguntando se você deseja finalizar o jogo. Não é possível deixá-lo em execução em segundo plano.

    Uma adição importante foi a opção de trocar o nível de iluminação (são 5 níveis) durante o jogo. No DS Lite você tinha que ligar o console sem nenhum jogo para poder acessar o menu que controlava o nível de brilho da tela. No DSi e DSi XL a coisa melhorou. Você podia alterar o brilho com o atalho “select” + “botões de volume” que é até mais prático do que o novo modo de se fazer isso, mas não seria possível implementar isso com o controle de volume do 3DS.

    Softwares Pré-Instalados


    Meu 3DS chegou até bem rápido, mas os jogos demoraram um pouco. Felizmente, a Nintendo incluiu alguns jogos básicos para demonstrar a tecnologia de realidade aumentada. Junto com o console você recebe cartões chamados “AR CARDS”.
    A brincadeira começa assim: você coloca o cartão com o símbolo “?” sobre um lugar plano qualquer e mira a câmera sobre ele. Tudo dando certo, uma caixinha sai de dentro do cartão e vc deve atirar nela. Acertando, o lugar onde você colocou o cartão se torna cenário para um jogo de tiro ao alvo. O efeito visual é muito interessante. Ver um dragão raivoso pulando de dentro da sua mesa em sua direção é surpreendente. Vencendo o dragão você tem acesso à outros jogos como pescaria (transformar sua mesa em um lago, fiscar peixes e o maldito dragão de novo é uma das coisas que você vai fazer sempre que quiser mostrar seu brinquedo novo para os amigos), bilhar e outros joguinhos.

    Além dos AR Games temos também o Face Raiders, um jogo de tiro bem divertido. Começa com você tirando uma foto de você mesmo. Foto tirada, uma espécie de capacete voador se fecha em volta da sua foto e começa a voar a sua volta. O cenário é o ambiente a sua volta, captado pelas câmeras externas do 3DS. Controle a mira virando o console pra lá e pra cá e atire apertando o botão “A”.

    A primeira fase é com o seu rosto, as outras fases são com os rostos de outras pessoas que você terá que fotografar. Ao fim de cada fase, o rosto/alvo é resgatado e entra para uma galeria de rostos. Conforme você avança você encontra inimigos diferentes, rostos que querem te beijar, outros que querem quebrar as paredes à sua volta, ovnis com fotos que você tirou fora do jogo e outras esquisitices. Os rostos, apesar de serem caputurados por foto, são animados. A animação é bem elementar, mas é bem engraçada.


    Esses jogos são basicamente o Wii Sports do 3DS. São até divertidinhos, mas a função deles é mais de mostrar o que o console pode fazer do que qualquer outra coisa. E isso, eles cumprem com louvor.


    Quem conhece o Wii já está familiarizado com os avatares do console, os Miis. E eles estão no 3DS também. O programa de criação de Miis é muito parecido com o do Wii. A grande diferença nele é a capacidade de salvar e carregar Miis em formato QR Code. Os QR Codes são códigos visuais esquisitos pouco usados por aqui, mas extremamente comuns no japão. São imagens que quando lidas por câmeras transmitem determiadas informações. Um princípio parecido com o dos códigos de barra. Com os Miis, isso foi implementado de maneira muito inteligente. Você salva o seu Mii em formato QR code e posta em algum lugar, alguém abre o Criador Mii, escolhe a opção de ler QR Codes, aponta a câmera para o código que você postou e o console salva aquele Mii na memória. Agora ele fica disponível para participar de jogos junto com o seu próprio Mii. No Wii, a tarefa de passar um Mii para outro console pela internet era bem inglória. Você tinha que descrever cada um dos passos utilizados para construir o Mii para que as pessoas seguissem. Demorava bastante. Agora, em questão de segundos você consegue copiar um Mii. É possível importar os Miis presentes no seu Wii, então todo o esforço que você já teve para criá-los pode ser aproveitado no portátil. Um detalhe muito curioso deste aplicativo é que a música de fundo é muitíssimo parecida com “Samba de Verão”, de Tom Jobim. A música chega a reproduzir compassos inteiros da composição do maestro brasileiro. A própria Nintendo já adimitiu que a música foi "inspirada" nesse clássico da bossa nova. Digam, quem aqui imaginou algum dia ler o nome de Tom Jobim no meio do review de um console?


    O aplicativo da câmera é bem parecido com o do DSi. Bem simples. Você pode tirar fotos 2d ou 3d e aplicar efeitinhos bobos nelas. Porém, dificilmente você vai querer tirar fotos comuns com o 3DS devido a péssima qualidade das suas câmeras (com imundos 0.3 MP). Tirar fotos 3D provavelmente é o único atrativo real desse aplicativo. Ainda assim, o foco ao usar as câmeras no modo 3d é meio difícil de entender. Atualmente o aplicativo não grava vídeos, mas isso foi prometido pela Nintendo para um futuro update.

    O aplicativo de som do Nintendo 3DS é também muito similar ao do DSi. Bem basiquinho. Vc grava os sons com o microfone e pode aplicar efeitos para aumentar o tom ou diminuir, alterar o tempo, voz de papagaio e outras bobeirinhas. Absolutamente inútil. Ele reproduz arquivos AAC e MP3 (a versão do aplicativo para DSi não reproduzia MP3), porém ao fechar o console a música é interrompida. Somando isso, ao fato dos alto falantes não serem lá grandes coisas e a entrada para fone de ouvido ser localizada no meio do console, a possibilidade de usar o seu Nintendo 3DS como MP3 player é praticamente nula.


    Um recurso muito interessante do 3DS (e herdado do Wii) é o Registro de Atividades. Este programa guarda não só o tempo que você jogou cada jogo (de DS e 3DS) como também registra o número de passos que você deu enquanto carregava o portátil. Funcionando como um pedômetro (sempre que leio o termo pedômetro penso numa espécie de detector de pedófilos...). Ele registra a sua atividade em gráficos por dia, semana ou mês. Pouco útil, mas interessante. A cada 100 passos que o console registra que você andou ele te dá uma moeda. Essas moedas podem ser trocadas por itens especiais em alguns jogos e qualquer outra coisa que os programadores bolarem pra isso. Porém, nada de pegar o 3DS amarrar na coleira do cachorro e deixar ganhando moedas. O pedômetro continua marcando os seus passos infinitamente (e normalmente registra mais do que vc realmente andou), mas o máximo de moedas que você pode acumular são 10 por dia e 99 no total.


    O Praça Mii Street Pass é um lugar onde você pode jogar alguns joguinhos que usam o recurso Street Pass e ver os Miis que você encontrou usando esta função. O Street Pass é um sistema que faz com que o seu Nintendo 3DS interaja com outros 3DSs via Wi-Fi quando ambos entrarem na mesma área. Basicamente, funciona com você andando pra lá e pra cá com o seu 3DS no bolso em modo de espera e quando você passar perto de outra pessoa que também esteja com o seu 3DS eles vão interagir seja trocando Miis, trocando peças de quebra cabeça ou travando batalhas de troféus em Street Fighter 4.


    Ao contrário do que pode parecer, habilitar o Street Pass não afeta muito a vida da bateria em modo de espera. Atualmente o recurso não é lá muito útil, já que encontrar outros 3DS pela rua é meio improvável (principalmente no Brasil), mas se o console fizer tanto sucesso quanto seu antecessor, isso pode se tornar algo muito interessante.

    3D


    Assim que vc liga o console pela primeira vez e insere os seus dados, uma tela de calibragem do efeito 3D aparece. Mais para mostrar do que o console é capaz do que para realmente ajustar alguma coisa. O logo do Nintendo 3DS surge na tela, cercado por quatro cruzes, uma em cada canto da tela e uma grade no fundo. Isso tudo numa imagem 2D. Uma contagem regressiva aparece e a mágica acontece. O logo começa a ir em sua direção, enquanto as quatro cruzes se desprendem em outras quatro, cada uma em um nível de profundidade diferente. O logo fica alternando entre afastar e aproximar-se, dando a exata noção do que a tela 3D é capaz.

    Um dos problemas citados por algumas pessoas é que o portátil teria que estar em uma determinada posição, diretamente em frente aos olhos, ou a ilusão se perderia. De fato, você precisa estar olhando para o console diretamente. Isso não é um grande problema, já que normalmente este é o modo como se segura um portátil. Há uma área limitada onde você pode se mexer sem que o efeito se perca. Essa área não é lá muito grande mas é o suficiente para jogar normalmente.

    Algumas pessoas reportaram sentir desconforto e tontura ao olhar para a tela com o 3D ligado durante muito tempo (a Nintendo recomenda uma pausa de 10 minutos para cada meia hora de jogo. Uma daquelas recomendações que ninguém no planeta segue). Particularmente, não senti nenhum tipo de desconforto ao jogar com o 3D ligado. Em alguns jogos, como Pilotwings, tive que diminuir o nível do 3D para poder enxergar melhor, mas não foi por nenhum desconforto, mas sim pq as imagens estavam meio embaralhadas para mim no início. Hoje, já consigo jogar Pilotwings com o efeito 3D no máximo sem sentir nenhum tipo de incômodo. É só uma questão de costume.


    Fora a parte legal de “Oh!! As imagens saem da tela!” o 3D dá uma ótima percepção de profundidade. Isso torna muito mais precisa a sua localização em um ambiente tridimensional. plataformers 3D serão muito beneficiados com isso. Em Pilotwings Resort o efeito facilita tanto o controle das aeronaves (principalmente ao pousar) que fico me imaginando como conseguimos jogar os antecessores no SNES e Nintendo 64 sem isso.


    Para fazer uma comparação eu joguei Lego Star Wars III - The Clone Wars no PSP e no 3DS. Tirando a mecânica tradicionalmente lenta dos jogos da série, era muito nítida a percepção que havia do espaço no 3DS e que faltava no PSP. Na prática, isso se traduziu em dificuldade para acertar certos pulos em plataformas distantes e elementos dispersos no ar. No PSP estas eram tarefas complicadas que necessitavam de um certo cálculo anterior à ação. No 3DS você consegue ver exatamente para onde está pulando, o que faz com que tudo seja absolutamente tranquilo e intuitivo.


    Lembro-me de um dia ter lido uma entrevista em que, ao ser perguntado sobre a falta dos tradicionais “blocos ?” flutuantes em Super Mario 64, Miyamoto disse que era difícil se posicionar exatamente embaixo de elementos colocados no ar em um ambiente 3D como o de Super Mario 64 e que por isso havia poucos blocos durante o jogo. Certamente, veremos a volta deles em Super Mario 3DS, já que com o 3D ativado essa dificuldade desaparece. Isto realmente é verdade. Em Lego Star Wars passei por uma situação que ilustra isso muito bem: houve um momento em que eu queria pegar uma daquelas pecinhas amarelas e azuis que marcam os pontos. Porém, ela estava flutuando no ar e eu teria que dar um pulo duplo para alcancá-la. Como as peças não fazem sombra, não havia um ponto de referência para calcular a posição dela no ar. O resultado foi um longo tempo pulando pra lá e pra cá pra tentar alcançar a tal peça. No 3DS com o 3D ligado, uma única tentativa foi suficiente.


    Gráficos


    Neste quesito, vou me limitar a comentar a qualidade gráfica dos jogos que tenho disponíveis aqui. Obviamente há de se ter em mente que, como são a primeira fornada de games do console, devemos esperar que eles não se aproveitem de grande parte do potencial gráfico da plataforma. Por isso, os gráficos aqui analisados reproduzem o capricho e o controle das capacidades do console pelos desenvolvedores. Vamos aos jogos.

    Pilotwings Resort: Pilotwings é tradicionalmente um jogo de demonstração das possibilidades gráficas que os consoles da Nintendo são capazes de apresentar. Foi assim com o Super Nintendo e os seus efeitos de rotação e câmera Mode 7 e também com o Nintendo 64 e seus belos gráficos poligonais. Agora não seria diferente. A versão 3DS do velho simulador de voo arcade da Nintendo demonstra perfeitamente o que o novo portátil é capaz de fazer.

    O game parece ser parte do Wii Sports Resort. Poderia muito bem fazer parte do pacote vendido no Wii. Não só pela ambientação (o cenário do jogo é a mesma Wuhu Island onde se passa o jogo do Wii) mas também graficamente. O visual é basicamente a mesma coisa já vista no console de mesa. Cenários bem coloridos, movimentação fluida e campo de visão muitíssimo aberto.


    Por ser um simulador de voo, Pilotwings Resort sempre te coloca em ambientes abertos, em que você enxerga muito longe. Num ambiente assim, seria de se esperar algum grau visível de construção dos cenários, mas isto não ocorre em momento algum. O jogo te dá sempre a capacidade de enxergar muito longe no horizonte.


    Em sua maioria, as texturas do jogo são simples e vivamente coloridas apelando para a o estilo já conhecido da série Wii Sports (não pensem que isso é um demérito, não mesmo. Wii Sports Resort tem um dos gráficos mais belos do Wii, diferente do primeiro Wii Sports que é realmente muito simples). Os efeitos de luz, no entando, são o que dão o diferencial gráfico do jogo. Durante os voos noturnos e ao entardecer que você nota os surpreendentes efeitos de iluminação do jogo com o sol ofuscando a sua visão ao cair da tarde (que fica magnífico em 3D) ou com as luzes de sinalização dos veículos a noite. Tudo muitíssimo bem trabalhado.


    Super Street Fighter 4 - 3D Edition
    : a característica mais marcante da versão 3DS é o nível de detalhe dos modelos dos personagens. Está tudo ali. Cada polígono parece ter ficado no mesmo lugar que estava nas versões dos consoles de mesa. Sem tirar nem por.

    As texturas continuam ricamente coloridas e com um belo nível de detalhamento, obviamente resguardada a óbvia diferença de resolução entre a versão normal e este port para o 3DS. Infelizmente, o mesmo não pode ser dito dos efeitos de luz, que foram muito simplificados. Hadoukens perderam boa parte do tamanho e do rastro de luz que deixavam, se tornando muito menos chamativos do que o que nos acostumamos a ver. As vezes ficam muito parecidos com o que havia na série Alpha. Os spark hits foram reduzidos à metade de sua intensidade e os efeitos de fogo (como no Ultra Combo de Crimson Viper) que antes eram compostos de uma bela mistura de vermelho, laranja e amarelo, se tornaram uma simples mancha alaranjada. Aqueles efeitos de luz que apareciam quando um Ultra Combo era acionado e que diziam “Fudeu! Aí vem uma paulada.” foram reduzidos à algumas faíscas que não metem medo em ninguém.


    Porém, a diferença nos efeitos de luz não é o downgrade mais significativo no visual de Super Street Fighter 4 3D Edition. Os cenários ficaram irritantemente estáticos. Continuam poligonais, mas perderam a animação que existia originalmente. Na verdade, o problema não é nem o fato dos cenários não se moverem, mas sim a presença de elementos ali que deveriam se mover. Um incômodo exemplo é o cenário da Africa. É impossível não notar um hipopótamo com a boca aberta e um pássaro pousado na língua durante todo o combate. Você consegue ver o hipopótamo de diversos ângulos, confirmando que ele é feito com polígonos, mas o fato dele estar parado naquela pose é muito estranho. Os animais mais distantes no cenário são simples sprites 2d, mas isso não chega a incomodar.


    Se o 3DS não conseguiria processar os personagens e o cenário se movimentando ao mesmo tempo, porque não simplesmente retirar da cena os elementos móveis em vez de mantê-los lá mas estáticos? Particularmente, acho que este cenário na savana africana seria muito bonito ainda que sem os animais se mexendo nele, apenas com a paisagem ao fundo. Com hipopótamos amestrados fazendo pose pra foto durante a luta toda fica apenas ridículo. O mesmo pode ser dito de todos os cenários. Uma ótima demonstração do que eu estou falando é o cenário do bônus de quebrar o carro. Neste cenário, o único elemento móvel lá era um cara com máscara de soldador (se não me engano). Esse cara foi simplesmente removido do cenário e não fez falta nenhuma. Ficou muito bem sem ele lá. Se tivessem mantido o sujeitinho ele só iria servir pra nos lembrar de que o cenário não era assim originalmente.

    Um outro probleminha é o HUD do jogo. Barras de energia, especial, contador de tempo, animações de início de round e KO são todas feitas com sprites de resolução baixíssima. Passam a nítida impressão de que pegaram esses elementos do jogo original e simplesmente deram um resize sem se preocupar com a qualidade do resultado. O correto seria construírem esses sprites do zero, pensando na resolução nativa da tela do 3DS.

    Não me entendam mal, Super Street Fighter 4 é certamente o jogo mais bonito do 3DS que joguei até o momento. Pode parecer que os problemas dele me chamam mais a atenção do que o resto, mas não é verdade. Os problemas estão apenas nesses detalhes. A maior parte do jogo, que são os modelos dos personagens, está absolutamente perfeita. É exatamente o que todos vimos nos consoles mas em tamanho e resolução menores. Um trabalho perfeito. Em um jogo tão bonito, acaba que um defeitinho de nada se torna muito chamativo. Sabem aquela coisa de olhar pra uma parede branquinha e lisinha mas com um ponto preto no meio e você não consegue mais reparar no resto da parede, só no ponto preto? É mais ou menos o que acontece em Street 4. Pelo menos comigo.


    Lego Star Wars III - The Clone Wars
    : Este jogo talvez tenha sido minha primeira decepção com o 3DS. O jogo é bonito e tal, mas tem uma cara de “O PSP também faz isso”. Já que o jogo tem uma versão para PSP é natural que sejam meio parecidas as versões mesmo... Peguei meu PSP e fui comparar os jogos lado a lado. Minha supresa foi que o PSP não fazia isso, mas sim FAZIA MELHOR.

    Os gráficos da versão PSP são muito mais coloridos e os textos muito mais nítidos do que no 3DS. A movimentação, os modelos poligonais e a taxa de frames está igual nos dois portáteis. Já os efeitos de iluminação, como os reflexos do sabre de luz no cenário ou dos lasers disparados pelos inimigos, realmente são muito superiores no 3DS. Para se aproveitar do 3D, provavelmente, a versão 3DS tem uma série de elementos no cenário localizados em primeiro plano que não existem na versão PSP. Esses elementos novos dão a impressão que estão ali apenas porque podem ser visualizados em 3D e não porque ajudam a compor o ambiente.


    O 3D ajuda a trazer uma ideia mais completa do cenário, de seus limites e fronteiras. Porém isso não é resultado do trabalho dos designers ao polir o game. Tudo isso é fruto das características inerentes da tecnologia 3D, então os designers não merecem ser creditados por isso.


    Internet


    Jogar online com o 3DS é mais simples do que com o DS. Pra quem não conhece o DS, é necessário explicar o sistema de friend codes. Quando você queria jogar online com um amigo você precisava entrar no jogo, verificar o seu número de friend code (uma sequência de 12 dígitos referente ao jogo e aquele console. Se mudar de console muda o friend code), passar o código para o seu amigo (por e-mail, msn, fórum ou qualquer outro veículo fora do console), ele também te passava o dele e ambos se adicionavam. Além de chato, o processo deveria ser repetido para cada jogo e o pior: o friend code mudava de jogo pra jogo. Imagine você decorar 12 números pra cada jogo que vc quiser jogar online.

    No 3DS a coisa mudou um pouco. O friend code continua existindo e sendo composto de 12 dígitos, mas é único por console. Caso você venda o seu console ou ele quebre ou coisa assim você perderá o seu Friend Code, mas ainda assim é melhor do que um para cada jogo. Em matéria de jogatina online a Nintendo ainda tem muito o que aprender com Sony e Microsoft (espero que a Nintendo não aprenda a cobrar para jogar online com a Microsoft). Parece que a coisa tá mudando de figura com os anúncios sobre o Wii U. Vamos torcer para que as mudanças cheguem ao 3DS.


    Quanto às partidas online em si, só pude experimentar Super Street Fighter 4. Jogando contra oponentes aleatórios na internet os lags eram muito frequentes e as partidas interrompidas por problemas na conexão também. Jogando contra um amigo via Friend Code as partidas fluiram perfeitamente. Na verdade, só o fato d’eu conseguir jogar online já me parece um milagre, já que eu tenho um link de 600 kbps aqui em casa.


    Com o update do dia 5 de Junho o 3DS ganhou o seu navegador de internet e o e-shop, para comprar games e conteúdo online. O navegador não merece muito destaque. É bem basiquinho e segue o mesmo padrão de qualidade dos navegadores do DSi, PSP, Wii e outros consoles. Ou seja: uma bostinha. Não suporta Java, Flash, nem Html 5. Mas é até bem funcional e, o mais importante, funciona bem com o Game Faqs.


    O E-Shop do Nintendo 3DS foi uma grata surpresa. Todo em português, com os preços em Reais e aceita cartões de crédito emitidos no Brasil (usei um cartão internacional do Bradesco, então não sei se os cartões que não são habilitados pra transacionar internacionalmente são suportados). A loja é muito bem organizada e conta com todo o conteúdo que já fazia parte da DSi Shop além dos novos conteúdos para o 3DS.


    No dia do lançamento do E-shop estava disponível gratuitamente e por tempo limitado (até o dia 7 de julho) o primeiro jogo da linha 3D classics: Excitebike. A linha 3D Classics é composta de jogos antigos da nintendo adaptados para a visualização 3D. Em Excitebike ficou muito interessante ver a platéia ao fundo e os refletores na frente, mas é só isso. No fundo continua o mesmo jogo de 25 anos atrás.


    Há também disponível no E-shop games da plataforma Virtual Console. São jogos de consoles antigos sem adaptações. No mesmo molde do serviço disponibilizado para o Wii. Atualmente temos games de Game Boy e NES. Não se sabe se futuramente teremos games de outros consoles, mas no Virtual Console do Wii temos games do Super Nes, Mega Drive, Pc Engine, Neo Geo e outros. O virtual console conta com save state, mas um único state pode ser salvo por vez. Nada de múltiplos slots.


    Os preços no E-Shop não são incompatíveis com os preços praticados na PSN e na Live, mas são um escândalo para os gamers acostumados com a iTunes Store ou a Android Market (mas bem, vamos combinar, celular é celular, console é console. Jogar em celular é queba galho).


    Bateria


    Provavelmente, a bateria seja o calcanhar de aquiles do 3DS. Oficialmente, a bateria do 3DS dura 3 horas com todos os componentes ligados. De fato, jogando um game de 3DS, com a luminosidade no máximo, sem fones de ouvido, utilizando o Wi-Fi e com o 3D ligado a duração da bateria é de mais ou menos 3 horas mesmo. Porém, esse é o uso máximo possível do 3DS. O nível máximo de luminosidade só é pra sr usado em lugares com muita luminosidade. Por muita luminosidade eu digo um ambiente aberto num dia ensolarado. Pra jogar num ambiente fechado iluminado por lâmpadas comuns o nível 3 (de 5 níveis de luminosidade possíveis) é mais do que o suficiente. O 3D nem sempre é algo interessante de se utilizar. Principalmente se você estiver em um carro ou ônibus em movimento. desligando o 3D a bateria dura bem mais. No caso de não estar jogando online, você pode muito bem desligar a conexão Wi-Fi para poupar mais alguns amperes.


    Se entendermos que o uso médio de um portátil seria jogá-lo com fones de ouvido, no nível 3 de luminosidade e sem o Wi-Fi temos uma duração média de umas 5 ou 6 horas. Ainda é baixo, mas não tão alarmante quanto 3 horas. Outra coisa que deve ser mencionada é que games de DS gastam menos energia que os de 3DS. Quando os jogos não se utilizam das duas telas então, aí que mais energia ainda é economizada. Então, a duração da bateria não é um problema tão grande quanto foi falado. Está longe de ser uma maravilha, mas não é um problema tão grande quanto a maioria dos críticos fizeram parecer.



    Isso encerra este review. Caso alguém tenha ainda alguma dúvida ou sugestão para fazer este review ficar mais completo, por favor poste aqui e eu farei o possível para responder.

  2. #2
    Moderador Avatar de Romulo
    Inicio
    Oct 2010
    Idade
    29
    Posts
    1.665
    Post Thanks / Like
    Reservado para futuras edições.

  3. #3
    Average Fighter Avatar de *ka
    Inicio
    Oct 2010
    Posts
    152
    Post Thanks / Like
    ae romulo, valeu pelo review


  4. #4
    Winner Fighter Avatar de Lobo Solitário
    Inicio
    Oct 2010
    Posts
    360
    Post Thanks / Like
    Maravilhoso esse topico! realmente o 3DS é isso aí.

    Conselho os noobs lerem para depois não ta falando besteira, sem nem mesmo, ter tocado em um 3DS. Eu que ja joguei, e , sei, o topico ta fiel o que realmente o 3DS é.

    Parabens Romulo.

  5. #5
    Moderador Avatar de windslashkun
    Inicio
    Oct 2010
    Localização
    goiânia/goiás/brasil
    Idade
    33
    Posts
    1.189
    Post Thanks / Like
    no fator internet queria tirar algumas dúvidas...... tenteni conexão via rede encriptada via wpa2 porém não obtive sucesso, o aparelho que testei só reconheceu quando mudei a encriptação para wep, é restringido somente a esse tipo de encriptação? testei o SF4 online tb, porém em um link GVT de 15mb, apresentou o mesmo problema que você teve com queda de conexão e lags tornando a partida um verdadeiro inferno, pelo jeito o "friend code" tem um papel importante no online play dele.
    outra coisa que achei estranha, foi o aparelho pedir atualização para acessar a intertet, até ai tudo bem, nada de mais, só que quando vai se fazer a atualização o aparelho retorna: seu aparelho já tem a úlima atualização disponivel. o.O normal essas loucuras ou pode trocar o aparelho que é defeito?
    "Se privar de outros jogos ou video games só por "amor à empresa" é uma completa burrice."
    "Ter uma preferência por uma empresa e/ou achá-la superior? OK! Idolatrá-la, colocando-a acima de todas as coisas e ignorar todo o resto? NÃO OK!"




    ♡。◕ ‿ ◕。♡ Esquadrão Fofura Will Hunt You!. ♡。◕ ‿ ◕。♡

  6. #6
    Moderador Avatar de Romulo
    Inicio
    Oct 2010
    Idade
    29
    Posts
    1.665
    Post Thanks / Like
    Maravilhoso esse topico! realmente o 3DS é isso aí.

    Conselho os noobs lerem para depois não ta falando besteira, sem nem mesmo, ter tocado em um 3DS. Eu que ja joguei, e , sei, o topico ta fiel o que realmente o 3DS é.

    Parabens Romulo.
    Valeu, cara!
    Pensei que ninguém tinha lido. Mais de duas semanas de tópico e só tinha uma resposta. :'(

    Essa área de reviews é meio esquecida mesmo... Eu mesmo esqueço de verificar se tem resposta. XD

    Citação Postado originalmente por windslashkun Ver Post
    no fator internet queria tirar algumas dúvidas...... tenteni conexão via rede encriptada via wpa2 porém não obtive sucesso, o aparelho que testei só reconheceu quando mudei a encriptação para wep, é restringido somente a esse tipo de encriptação? testei o SF4 online tb, porém em um link GVT de 15mb, apresentou o mesmo problema que você teve com queda de conexão e lags tornando a partida um verdadeiro inferno, pelo jeito o "friend code" tem um papel importante no online play dele.
    outra coisa que achei estranha, foi o aparelho pedir atualização para acessar a intertet, até ai tudo bem, nada de mais, só que quando vai se fazer a atualização o aparelho retorna: seu aparelho já tem a úlima atualização disponivel. o.O normal essas loucuras ou pode trocar o aparelho que é defeito?
    Quanto ao WPA2, eu tenho quase certeza de que ele aceita. Não vou poder testar pq tô saindo de viagem. Agora só dá pra testar semana q vem. Mas acho q funciona sim, menos para os jogos do Nintendo DS, esses ficam limitados ao Wep mesmo.

    Sobre esse bug que vc tá tendo de não conseguir atualizar, é muito estranho. Isso acontece sempre? Pq, de fato, não é normal. Comigo isso nunca rolou. Já rolou da atualização parar no meio sem motivo e tal, mas isso era coisa do download q era interrompido. Mas esse erro eu nunca vi.

  7. #7
    Moderador Avatar de windslashkun
    Inicio
    Oct 2010
    Localização
    goiânia/goiás/brasil
    Idade
    33
    Posts
    1.189
    Post Thanks / Like
    Citação Postado originalmente por Romulo Ver Post
    Valeu, cara!
    Pensei que ninguém tinha lido. Mais de duas semanas de tópico e só tinha uma resposta. :'(

    Essa área de reviews é meio esquecida mesmo... Eu mesmo esqueço de verificar se tem resposta. XD



    Quanto ao WPA2, eu tenho quase certeza de que ele aceita. Não vou poder testar pq tô saindo de viagem. Agora só dá pra testar semana q vem. Mas acho q funciona sim, menos para os jogos do Nintendo DS, esses ficam limitados ao Wep mesmo.

    Sobre esse bug que vc tá tendo de não conseguir atualizar, é muito estranho. Isso acontece sempre? Pq, de fato, não é normal. Comigo isso nunca rolou. Já rolou da atualização parar no meio sem motivo e tal, mas isso era coisa do download q era interrompido. Mas esse erro eu nunca vi.
    é axo q o aparelho pode tar zuado msm, na verdade nem meu é, é de um amigo meu.... eu só fui configurar ele na net pq ele nao tava conseguindo e axei muito estranho o aparelho nem reconhecer a rede! o.O
    e o lance da atualização então..... mas ele disse que recentemente conseguiu atualizar e agora ta de boa, só o WPA2 que nao testou novamente....
    "Se privar de outros jogos ou video games só por "amor à empresa" é uma completa burrice."
    "Ter uma preferência por uma empresa e/ou achá-la superior? OK! Idolatrá-la, colocando-a acima de todas as coisas e ignorar todo o resto? NÃO OK!"




    ♡。◕ ‿ ◕。♡ Esquadrão Fofura Will Hunt You!. ♡。◕ ‿ ◕。♡

  8. #8
    Moderador Avatar de battosai
    Inicio
    Jul 2011
    Idade
    29
    Posts
    2.377
    Post Thanks / Like
    òtimo post, muito completo!
    vou fixar ele porque acho-o muito importante e quem fizer reviews próprios completos dessa forma sobre os novos consoles e portáteis com certeza terão a mesma atenção.
    é uma fonte de pesquisa para aqueles que ainda não decidiram que console comprar e não sabem o que oferecem cada console disponível no mercado!!


    deixo uma sugestão rômulo, acho que em determinadas partes do review ficaria muito bom umas imagens para podermos associar o que vc está dizendo com a imagem.

    agora sobre o 3Ds fiquei surpreso por ele não ter uma tela de boot xD
    pode não ter funcionalidade mas é legal, é a marca registrada de cada console. gostei da idéia do "game notes".
    acho muito útil e poder pausar o game e acessar a web tbm é bom.
    e os softwares pré-instalados parecem bons tbm com exceção da da câmera que não parece ser grande coisa mesmo com a função 3D e a parte de som tbm não agrada muito né... tem tbm bastante besteirinha de pouca utilidade mas que é um diferencial. gostei do review, tenho bastante interesse no 3DS principalmente pela retrocompatibilidade que ficou marcante nos novos consoles da nintendo.
    estou esperando o pspvita começar a ficar mais acessível e pretendo ter esses 2 portatéis!!

    parabéns!!



  9. #9
    Moderador Avatar de Romulo
    Inicio
    Oct 2010
    Idade
    29
    Posts
    1.665
    Post Thanks / Like
    Citação Postado originalmente por battosai Ver Post
    òtimo post, muito completo!
    vou fixar ele porque acho-o muito importante e quem fizer reviews próprios completos dessa forma sobre os novos consoles e portáteis com certeza terão a mesma atenção.
    é uma fonte de pesquisa para aqueles que ainda não decidiram que console comprar e não sabem o que oferecem cada console disponível no mercado!!


    deixo uma sugestão rômulo, acho que em determinadas partes do review ficaria muito bom umas imagens para podermos associar o que vc está dizendo com a imagem.

    agora sobre o 3Ds fiquei surpreso por ele não ter uma tela de boot xD
    pode não ter funcionalidade mas é legal, é a marca registrada de cada console. gostei da idéia do "game notes".
    acho muito útil e poder pausar o game e acessar a web tbm é bom.
    e os softwares pré-instalados parecem bons tbm com exceção da da câmera que não parece ser grande coisa mesmo com a função 3D e a parte de som tbm não agrada muito né... tem tbm bastante besteirinha de pouca utilidade mas que é um diferencial. gostei do review, tenho bastante interesse no 3DS principalmente pela retrocompatibilidade que ficou marcante nos novos consoles da nintendo.
    estou esperando o pspvita começar a ficar mais acessível e pretendo ter esses 2 portatéis!!

    parabéns!!
    Valeu, cara. Sugestão anotada. Vou colocar umas fotos depois.

  10. #10
    Good Fighter Avatar de Fred
    Inicio
    Oct 2010
    Idade
    34
    Posts
    311
    Post Thanks / Like
    Parabéns Romulitos ficou show seu review ^^
    Vc tem o zelda? gostaria de uma opinião sua sobre o game no 3DS

  11. #11
    Legendary Fighter Avatar de OldBarbie
    Inicio
    Feb 2011
    Idade
    25
    Posts
    3.744
    Post Thanks / Like

    Re: Nintendo 3DS - Review Completo

    Bem ameikos eu comprei o meu esse dias e darei a minha opinião insignificante para vcs...

    Quanto aos jogos tenho 2:

    Super Mario 3d Land

    Ahhh...que maravilha de jogo... simples, bonito e divertido, as fases foram construídas pensando em como tirar proveito do 3D de maneira inteligente sem ser um algo forçado (a fase em que Mário entra embaixo d´água, sempre arranca um sorriso e um grito de ´´nossa que bonito``) fazendo que se possa usar o efeito 3D no talo sem cansar a vista mesmo que vc não esteja acostuamdo...

    A jogabilidade é muito boa, mas ás vezes eu pulava de um lado e o danado do Mário teimava e ir para o outro lado (não por defeito do jogo, mas por eu não estar acostumado com o analógico do 3DS, que aliás se mostra confortável para jogar como o Romulo já citou).

    Uma dúvida que eu tinha era sobre o serrilhado ao usar efeitos 3D que alguns jogos apresentam, pelo menos nesse game praticamente não apresenta serrilhado, ele existe mas pouco, sério vc nem repara que tem...

    O jogo em si é fácil (eu achei bem mais fácil que o New Super Mario Bros do Ds) algumas fases são muito curtas...mas quando vc acha que o jogo acabou acontece uma surpresinha...bem eu não vou dizer...

    Enfim é um jogo muito legal, que faz vc sentir jogando uma mistura do super Mário clássico com os recentes da série Galaxy....eu agarantio

    Super Street Fighter 4 3D Edition (sim, a Capcom levou meu dinheiro de novo )

    Não tenho muito a acrescentar do que o Romulo já citou...só algo que talvez eu discorde é, o fato dos cenários serem estáticos pelo menos para mim não incomodou nem um pouco (tá certo que o hipopótamo com a boca aberta o tempo todo é estranho) como as animações dos personagens são bem fluídas e texturas de ótima qualidade e afins (realmente nessa parte é igual aos consoles) levando em conta que se trata de um portátil o resultado ficou até que legal. E jogar no modo de vista dinâmico torna uma experiencia muito interessante (lançar uma fire ball, seja com quem for, e ver ela se perdendo na profundidade do cenário é muito bom)

    No meu caso o que mais me incomodou devido a limitação do cartucho (ou sei lá o que) é que não se tem a opção para mudar as vozes para o japonês (mas pode mudar os idiomas de texto para espanhol, inglês e...francês????? WFT???!!!!) as vozes americanas de alguns (pra não dizer a maioria) são horríveis (tive muitas dores de ouvido ao ouvir o Ryu soltando seus hadoukens)...

    Quanto a jogabilidade o analógico se comporta bem (depois que vc se acostuma com ele) agora o D-pad... Meu deus que treco horrível dos infernos, pequeno demais, desconfortável..e bem... deveriamos ganhar uma conquista ou algo do tipo ao conseguir lançar um hadouken, o do psp se mostra infinitamente melhor nesse aspecto...No mais, toda a jobilidade que fez de street fighter 4 o que é está aí no portátil cabe vc a se acostumar com o jeito de jogar no 3DS...

    Agora o ponto negativo de todo o game: o modo on line, é praticamente impossível tirar um racha de maneira aceitável sem morrer de raiva com os lags colossau...foram várias as vezes que perdi para noobs que não param de dar hadoukens e afins simplesmente por que vc perde o tempo de ação e reação e não consegue pular ou defender um maldito golpe...(não sei se com batalhas com friend code o negócio melhora sou forever alone :/ não tenho nenhum friend visto que são muito poucos (leia-se ninguém) as pessoas que tem um 3ds por aqui....

    Enfim Street 3Ds te proporciona a mesma diversão da versão consoles e poder jogar em qualquer lugar (vide meu trabalho) é sempre uma boa pedida...

    O nintendo Eshop
    Não aceita cartões nacionais que não seja internacional (deu pra entender né )
    É possível assistir vídeos (em 3D) de jogos que saíram ou não e a ultima atualização permite baixar alguns vídeos (prévia do Kid Icarus me impressionou e muito).
    Jogos grátis por tempo limitado (baixei o de gba zelda four swords-acho que é esse o nome- muito bom o jogo) não sei se ainda está disponível...

    Não me lembro de mais nada no momento :/ ... (chegando hora do almoço a cabeça para de raciocinar direito)


    Segue abaixo o meu friend code pra quem quiser me add aê e testarmos uma peleja no Street (se o online funcionar direito)
    oldkof
    1934-0988-3959


  12. #12
    Average Fighter Avatar de AndrinhoD
    Inicio
    Oct 2010
    Idade
    28
    Posts
    171
    Post Thanks / Like

    Re: Nintendo 3DS - Review Completo

    Eu, gostaria muito de comprar o nintendo 3Ds mais e muito caro no Brasil.


 

Tópicos Similares

  1. [Review] SkyRoads - PC MS-DOS
    Por cis_negro no fórum Jogos Retro
    Respostas: 1
    Último Post: 18/11/2013, 21:45
  2. [Review] Nightmare Creatures 2 PSX
    Por cis_negro no fórum Jogos Retro
    Respostas: 8
    Último Post: 20/10/2013, 22:14
  3. [Review] Hugo CNT TV
    Por cis_negro no fórum Jogos Retro
    Respostas: 6
    Último Post: 20/10/2013, 21:44
  4. Respostas: 0
    Último Post: 18/01/2013, 20:29
  5. Respostas: 0
    Último Post: 17/01/2013, 20:26

Marcadores

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •