Quando os jogos 3D começaram a estourar nas novas gerações, muitas pessoas largavam seus consoles antigos em busca de se modernizar e inteirar das novas tecnologias. Eu sempre achei legal alguns ports que algumas empresas faziam com os consoles de gerações passadas, ports esses que basicamente tentavam levar conteúdo atual a esses consoles, fazendo com que não o deixasse se tornar obsoleto. Muita gente não tinha condições de estar acompanhando as novas tendências, a TecToy mesmo aqui no Brasil propagava muito isso, ainda hoje vemos Mega Drive e Master System serem vendidos.

O segundo portátil da nintendo, que era uma espécie de upgrade do segundo, trazia cores ao pequeno notável Game Boy, não atoa o seu nome era Game Boy Color. Eu cheguei a ter os dois numa época que estávamos já com Playstation e Saturn bombando no mercado (pirata) Não cheguei a aproveitá-los bem, os jogos eram muito caros e consegui-los também era complicado, peguei ao todo uns 2 jogos de cada e passei adiante, somente mais tarde vim a conhecer mais sobre sua biblioteca, e olha, tem muita coisa boa.

Toy Story Racer veio tarde, praticamente no fim da vida do console, não me estranha ele ser bem pouco conhecido, mas quando o joguei pela primeira vez, pude imaginar, perceber o quão bom ele rodava em 8-bits. A gente tem uma idéia na cabeça de que 8-bits representa aqueles velhos pixels, coisa que hoje em dia se tornou até retrô, muitas empresas ainda apelam para esse sistema de gráficos afim de agregar seguidores e fãs "das antigas" inclusive uma empresa brasileira já declarou que os pixels e a geração passada são o seu maior ponto de inspiração, falo da Joymasher.

Voltando ao assunto, Toy Story Racer é um game 3D para o Game Boy Color, não um 3D que estamos acostumados, mas sim um "esquema" que se constituía em renderizar gráficos animados num loop contínuo, basicamente era uma rota que seguia seu fluxo naturalmente com os sprites dos carros sobrepostos por cima, nos dando a impressão que aquilo tudo era uma coisa uniforme. As pistas (cenários de dentro da casa) são muito bem construídos em cima de uma visão do desenho mesmo, tudo gigante, como se realmente fossemos um brinquedo brincando de carrinho pela casa, isso é muito divertido acreditem, eu juro que nunca imaginaria algo assim vindo de um console 8-bits, jamais.

Os gráficos do game estão todos sob uma perspectiva 3D, hoje em dia soam estranho, mas para a época isso era um milagre, eu confesso que ainda hoje o acho agradáveis, claro se jogado da maneira correta, numa pequena janela em algum celular ou tela apropriada, pois como já disse em reviews anteriores, você simplesmente rodar num emulador numa tela full, óbvio que tudo irá ficar com cara de distorcido. Os sons, assim como as músicas, soam agradáveis, mas nada de muito especial, minha única crítica ao jogo, era o fator replay, uma vez fechado o jogo, não se tinha muito o que fazer, da mesma maneira que você se apega ao game ao começar a jogar, você o desapega assim que termina, mas enfim, Toy Story Racer é como aquela mina que a gente pega um dia e depois enjoa e parte em busca de outra, coisas da vida.


|__CisNegro__|